A cena jazz de New Jersey e as vibrações undergrounds de Nova York são referências explícitas na música do americano Kerri Chandler, considerado um dos percussores do deep house e uma verdadeira lenda da house music. Seu interesse pelo DJing despertou aos 13 anos de idade, graças ao seu pai, também DJ. A combinação entre duas fortes referências sendo absorvidas enquanto Kerri ainda era muito jovem e um aspecto familiar decisivo, não poderia resultar em um artista de pouca habilidade. Quanto o assunto é house, Chandler é um verdadeiro mestre e o mundo reconhece isso. Confira playlist que montamos para acompanhar essa matéria: 

Seu primeiro trabalho na produção musical foi lançado em 1991. O single SuperLover saiu pela Atlantic e foi o start ideal de uma carreira brilhante na produção musical. Desde então, Kerri se comprometeu a ser fiel ao seu estilo, não cedendo ao comercial nem mesmo quando a house music ocupava o topo das paradas do mundo todo. Uma rara habilidade de mesclar tradição e inovação chocou o mundo após releases como Atmosphere, Mommy What’s a Record e Rain – estes são alguns de seus principais sucessos. Ao ouvir tais faixas, fica fácil identificar a identidade musical de Chandler, um som alegre, vibrante e de groove único.

Influências da música gospel também podem ser identificados em seus trabalhos. A espiritualidade do americano é um ponto muito comentado e segundo ele próprio, todo momento de produção musical merece uma oração. A tecnologia é uma outra paixão e Kerri sempre se mostrou disposto a evoluir tecnicamente nesse sentido. Seus DJ sets são muito mais que pen drives e um par de toca-discos. Frequentemente, ele inclui sintetizadores, instrumentos acústicos e sua voz única as apresentações. Seu estúdio é resultado de uma sucessão de ideias criativas projetadas para revolucionar o processo criativo. Toda estrutura do local foi montada pelo próprio Kerri, um artista que busca se manter a frente da tecnologia disponível no presente.

Se para alguns a house music se tornou um local de pouca inovação, para Kerri ela segue sendo um terreno fértil e de novas experimentações. Suas produções são capazes de manter uma forte identidade mesmo quando variam de estilos e oferecem novas abordagens, como é o caso de Downtown, por exemplo, uma faixa mais dark do que seus grandes sucessos. Seu próximo lançamento é um remix para o frotman da Moon Harbour Recordings, Matthias Tanzmann, e mostra que Kerri é mais do que um produtor respeitado do passado, ele é um ícone eterno da dance music. A música conecta as pessoas!