Loooooooooong com DJ Mau Mau

Para quem ainda não tá ligadx na nossa nova série de podcast, te explico de forma curta, já que de long basta o conteúdo em si. Como bons amantes daqueles sets calmamente construído que perduram horas e horas e nos levam a uma jornada sonora, resolvemos abrir espaço para trazer convidados que manjam do assunto e nos presentear com um long set gravado. O primeiro capítulo dessa série foi assinado por Thiago Guiselini e o segundo mergulho vem através de um dos maiores veteranos da música eletrônica nacional, o DJ Mau Mau, artista que dispensa grandes apresentações, já que construiu uma sólida carreira ao longo dos mais de 20 anos de história. 

+++ Loooooooooong com Thiago Guiselini

Sua sensibilidade e experiência dentro das cabines o colocam em uma posição privilegiada quando o assunto é long sets e, sendo assim, este mix é um belíssimo deleite aos ouvidos, ainda mais porque foi construído apenas com discos de vinil. Mau Mau trouxe pra gente suas impressões sobre o trabalho que ele nos entregou: 

“Sempre gostei muito de fazer long set em clubs e festas, principalmente quando o público se conecta com a trilha sonora. Tocar por muitas horas seguidas é uma excelente oportunidade para passear por estilos diferentes e provocar sensações distintas. Neste set, especialmente gravado só com vinil para o Alataj, separei músicas de várias épocas, onde passado e presente foram unidos pela originalidade. O set começa basicamente com House e Deep House, com BPM mais baixo, como se estivesse fazendo um warm-up e vai evoluindo para o Tech-House,. Depois de uma hora, fui passando para Funk Techno e Deep Techno, seguidos de alguns Electros. Para completar a viagem inseri também Trance, Detroit Techno e Techno Trance.  Para dar aquela sensação de passeio de montanha russa, fui voltando lentamente para o House, seguido de Acid House, e Minimal , No final, ainda toquei um pouco de Disco House e Jazz House, completando a salada sonora.  No set todo procurei fazer mixagens longas, construindo e brincando com as frequências e equalização,  contando um pouco da minha história e referências, com músicas atemporais e também novidades que acabaram de entrar para a minha coleção de vinis.”

A música conecta.